Posts

O amor e a aceitação de si mesmo

Mais cedo ou mais tarde precisamos aprender uma lição simples e fundamental: o amor próprio e a aceitação de nós mesmos.

Nos esforçamos ao longo da vida para aprender a amar os outros. De forma geral respeitamos e tratamos amorosamente nossos familiares e os amigos que selecionamos por afinidade. Entretanto, quando olhamos mais profundamente, vemos que damos um tratamento muito mais amoroso aos nossos amigos do que a nós mesmos.

Para amar é preciso aceitar. Aceitar aqueles que selecionamos por afinidade e crenças é mais fácil do que aceitarmos a nós mesmos com todas as nossas imperfeições.

Será que você se aceita por inteiro e se ama? Observe como você fala consigo mesmo. Qual é o tom da voz interior. Principalmente quando acontece uma situação de frustração. Quando algo que você está tentando transformar em você, quando um objetivo que está procurando alcançar não acontece como esperado. Como você se sente? O que diz para si mesmo?

Imagine que uma situação semelhante de frustração aconteceu a uma amiga querida. O que falaria para ela? Existe alguma diferença no tratamento?

Em geral tendemos a ser mais críticos e cruéis conosco do que com um amigo.

Neste processo alimentamos um ciclo de falha e castigo que irá se repetir até que algo novo surja. Aprendi que o sofrimento permanece através de inúmeras provações até que a lição espiritual seja aprendida. Neste caso, é preciso alterar a voz interior. É preciso dar um tratamento mais equânime e amoroso a nós mesmos. Praticar o amor próprio, o auto perdão. Aceitando aquela parte de nós que não gostamos tanto..

Se a voz fala coisas como: “sabia que não conseguiria”, “fracassou novamente”, “idiota, eu te avisei…” e por aí vai… Sim você está sendo muito crítico e alimentando culpa e ressentimento.

Procure se colocar no lugar de uma amiga querida que talvez não tenha aprendido ainda como fazer diferente. O que você falaria para esta amiga na mesma situação? Você pode solicitar que ela reflita sobre o que aprendeu.. O que pode fazer diferente da próxima vez.. Troque a voz crítica por algo como: “tudo bem, eu entendo que você tentou, vamos fazer diferente da próxima vez, sei que vai conseguir!”. Da primeira vez pode soar meio estranho, mas a repetição com emoção verdadeira cria o novo hábito.

Praticar o amor e a aceitação de si mesmo implica em ter uma voz interior amiga que encoraja e que perdoa. Implica em acolher aquela sua parte que você não gosta tanto. Isto é amor incondicional. A partir daí, será um pouco mais fácil assimilar o ensinamento de Jesus Cristo, ainda não compreendido pela humanidade: “amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”.